terça-feira, 22 de novembro de 2016

Ana fala sobre Encontro de Veículos

Foi curioso trombar com uma entrevista que Ana concedeu em Ribeirão Preto por ocasião de Encontro de Veículos Antigos naquela cidade, ainda neste segundo semestre de 2016.

Houve falhas de interpretação por parte do repórter, mas valeu a pena assim mesmo. As fotos ficaram ótimas incluindo aquelas das viaturas e do 'setup' telegráfico da Segunda Guerra, modelo TG-5-B.

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Pracinha da FEB, nossas desculpas...

Aos nonagenários ‘pracinhas’, nosso pedido de desculpas.
Outubro de 2016.
A primeira a tratar do assunto foi nossa “priminha” de adoção número 1, querida Anne Lansilotte. Em algum comentário no Facebook, nestes últimos dois dias, ela logo martelou: - “Vocês não vão ao Encontro em São Luís do Maranhão?”
Com Anne, estivemos em nossa primeira jornada Montesina em abril de 2010, tietando quase 15 de nossos amigos veteranos ‘pracinhas’, poucos deles com mais de 90 anos na época.
Depois daquele abril, Montese se tornou nosso HQ em todos os ABRIL seguintes, sempre no Albergo Belvedere.
E veio logo o nosso primeiro Encontro de Veteranos no Brasil. Era o XXII Encontro Nacional de Veteranos da Força Expedicionária, realizado em Jaraguá do Sul, SC. Foi sensacional.
Seguiram-se outros, em Porto Alegre, São Bernardo do Campo, Juiz de Fora, Rio de Janeiro e Santa Rosa. Ana e eu estivemos em todos! Seis anos na sequência...
Nossos amigos passaram de octo para nonagenários. Alguns foram compartilhar da paz eterna ao lado de outros velhos companheiros de trincheira. Outros estão por aqui, insistem em nossa companhia e fazem valer a pena.
Desde agosto, venho pensando em me desvencilhar de compromisso profissional marcado para o mesmo final de semana do XXVIII Encontro Nacional de Veteranos da FEB, que ocorrerá em São Luís (MA).
O ofício de meu empregador, no entanto, mostra que a missão era ingrata. Embora meu colega de trabalho pudesse me substituir, o foco desta vez era o titular.
Estaremos ausentes, Ana e eu. Mas, poxa vida! Esperamos, do fundo do coração, que nossos amigos veteranos possam nos desculpar desta vez, pois não havia meios. Nem o pedido de férias resolveria, já que a presença em Curso obrigatório trata também dessa questão.
Amigos ‘pracinhas’, aceitem nosso pedido de desculpas. Vamos tentar compensar de alguma forma no XII Encontro Brasileiro de Veículos Militares Antigos, em São José, SC.
Anselmo, grande Anselmo. Aceite nossa procuração para Anne Lansilotte – ela será nossa representante, sem falar em Marcos Renault, Presidente da ABPVM e Vice do Grupo Histórico da FEB.
A gente se vê no XXIX, em 2017.
A Cobra continua Fumando!!
Vitor & Ana

domingo, 4 de setembro de 2016

Marino em repouso

Recebi telefonema da família de nosso querido amigo araraquarense José Marino, jovem senhor e ‘pracinha’ da Força Expedicionária Brasileira de 96 anos que, desde 2011,  prestigia Jaboticabal nos desfiles de Sete de Setembro.

Nosso companheiro de tantas aventuras enfrenta complicações oriundas de gastrite leve e repercussões que o forçaram ao gozo de ‘licença forçada’ a partir de hoje, com náuseas e fraqueza potencializadas pela falta de apetite. Medicado e rodeado pela super-família, guarda repouso absoluto por período ainda incerto.

A preocupação da família com José Marino (ele e Pedrinho são os heróis máximos na casa) é a repercussão com o Sete de Setembro. Minha preocupação (e de Ana) é com ele. Entendam todos que ao dizer “dane-se o desfile”, uso apenas uma figura de linguagem para reforçar o nosso anseio de pronta recuperação, porque está ali mais uma daquelas pessoas referenciais dentro desta nossa última década de vida.

Ele, com Moreira Lima, Meirinha, Cruchaki, Ary, Goulart, Rubens, Lansilotte, e tantos outros, colocou-nos em contato com uma história bonita que nós não conhecíamos a fundo. Por via remota, ainda nos ajudaram a arranjar mais uma atividade extra-curricular que, a bem da verdade, repercute positivamente para a comunidade.

José Marino, ferido pelos nazistas ao subir as ladeiras montanhosas em direção à glória na conquista de Montese em abril de 1945, nunca se abalou. Literalmente, comeu o pão que o diabo amassou durante 239 dias (como faz questão de lembrar). Agora, é preciso seguir todas as recomendações médicas e pensar na plena recuperação.

Sabemos que Motta e Pires (China), de 95 e 97 anos, representarão muito bem seu amigo durante o desfile. E, conhecendo Marino como conhecemos, queremos crer que o destino lhe garantirá  retorno a tempo, para se sentar na Dodge 1944 ao lado do ‘motorista’ Hugo Stéfani, e ser conduzido para mais um dia de glória pelas ruas jaboticabalenses.

Força positiva, reza brava, mandinga, superstição, seja lá no que você acredite, use com o coração virado para nosso herói, um autêntico herói brasileiro. Com desfile ou sem desfile, nós estamos com ele. E vocês?

A Cobra Continua Fumando.



domingo, 28 de agosto de 2016

6º RAC - Vitor&Ana&6RI

Amigas e amigos do Sexto RI, Reencenação Histórica
Ana e eu nos sentimos na obrigação (prazerosa) de reforçar nossa gratidão convosco. Vocês todos, de maneira tão desprendida, estiveram ao nosso lado durante um sábado infernal (literalmente), sem qualquer contraprestação senão a de mostrar um pouco sobre a missão da reencenação.
Oferecemos tão pouco em troca.
Nem ao menos uma foto com todo o pessoal, nós fizemos. E nesse particular, é hora de pedir desculpas pela primeira vez. Ana até comentou que desde 07.9.2015 vocês não conseguiam se reunir em bom número, e todos nós sabemos o porquê – o ritmo da vida!
Sob nosso ponto de vista, vocês integram um grupo especial, com rumos distintos mas alguma coisa que fala em comum para todos. Parte disso passa pela História dos veteranos da Segunda Guerra Mundial, que acabou nos unindo de uma forma ou de outra, com o prestígio que vocês nos concedem em todo o desfile cívico dos últimos anos na pequena Jaboticabal.
Vocês se tornaram o “toque de caixa” do evento, engrandecendo com vossa juventude e força de vontade, a parada em homenagem a Stéfani, Marino, China e Motta.
E depois de tudo isso, ainda se sujeitaram à “torradeira” do Shopping Iguatemi no dia 27.8.2016!!!
Foi uma semana atípica para nós, com Poços no final de semana anterior, Desfile de Aniversário em Araraquara, e a condução das duas viaturas para Ribeirão Preto no sábado. Tínhamos marcado o jantar, e depois não conseguimos forças para honrar o churrasco na casa do Edu, mas queremos pensar que, juntos, teremos outras oportunidades.
E pensar positivamente no Sete de Setembro; vocês estarão conosco em casa, e com os três veteranos que insistem em nos acompanhar, ano após ano desde 2011... Não é inacreditável?
Graças a vocês, o evento ainda é um dos maiores do interior paulista, no que diz respeito a veículos militares antigos, veteranos (SIM!! Digam, onde há mais veteranos de Guerra no Sete de Setembro, senão em Jaboticabal?), reencenadores, público.
É graças ao esforço de vocês todos, como conjunto, que a bandeira da FEB será hasteada formalmente pela primeira vez, no pós-guerra, numa cidade do interior paulista. E é com vocês que faremos a reinauguração do monumento da FEB em Jaboticabal, ao lado da árvore frondosa que foi plantada, muda pequena, em 1945, pelos pracinhas da cidade. Vamos fazer uma surpresa para a viúva de Stéfani.
Ana e eu nos desculpamos se, porventura, parecemos ter sido desatenciosos. Recebemos outros visitantes ilustres, amigos, interessados, colecionadores de viaturas, parentes de veteranos, e isso tomou um pouco de nosso tempo em comum.
Para finalizar, perdemos o churrasco e ainda por cima, cometemos uma grosseria com o mano Celin, que voltou no domingo para resgatar seu M38 e por má compreensão de minha parte, ficou para trás no ‘comboio’. Eu simplesmente não imaginei que ele faria o mesmo percurso que nós, ao menos até o trevo de Sertãozinho... Mas no fim deu tudo certo, porque ele nos encontrou no posto a 500m do Shopping Iguatemi.
Na figura desse caboclo, queremos reconhecer o esforço de todos vocês, especialmente das mulheres, a caráter ou não. Maru e senhora, Sisdeli e senhora, Dudu e senhora. Grato a todas as mulheres, especialmente a minha ( eh eh eh eh ) pela paciência e por, ao menos, sentarem conosco e tomarem algumas cervejas ao nosso lado. Vanessa Celin, mais paciência ainda, acompanhando tudo a distância e trabalhando sem parar.
Vocês foram essenciais para o sucesso da missão conjunta.
Vocês serão essenciais para o sucesso da próxima missão – Sete de Setembro.
Parabéns...
Aceitem nosso beijo e nosso abraço especial. Vocês são DEZ...


Vitor & Ana, Jaboticabal, 28.8.2016

quinta-feira, 2 de junho de 2016

Reencenação Histórica...

Massimiliano Bacci é um de nossos vários amigos no Norte da Itália. Tivemos contato com ele inicialmente em 2010, em nossa primeira viagem para a região onde combateram os brasileiros, e há algumas fotos que Ana e eu fizemos em seu Jeep. Meses depois, estávamos comprando o nosso e desenvolvendo um trabalho sobre divulgação da FEB em nossa pequena região, no entorno de Jaboticabal SP Brasil.
Ele escreveu algo sobre a realidade da revocação histórica e fiz uma tradução livre e até mesmo ‘pobre’ para o português. Elaborei uma resposta simples e fiz a tradução inversa, para que ele tivesse acesso, e resolvi publicar no Blog porque faz muito tempo que não uso esse meio de comunicação.
Não somos perfeitos no que vestimos, mas fazemos o melhor possível pela divulgação da História da FEB. Os uniformes não precisam ser 100%, porque o que importa, ao final, é a História...
Abraços a todos....



Massi escreveu em italiano:

Stamani ho avuto l'ennesima dimostrazione che non ho fatto male ad uscire dalla bolgia della rievocazione storica...
In occasione di un evento programmato per oggi, un amico si è sentito dire che non poteva partecipare in divisa perché a numero chiuso...
Ma dico, a parte il fatto che i partecipanti "travestiti" hanno abbondantemente passato il mezzo secolo e taluni sono ridicoli nella loro vestizione, patacche ogni dove e fanti con l'età della pensione!
Allora, ma in questa occasione non era meglio essere in tanti, e come il mio amico essere plausibili storicamente, sarebbe stato un ottimo colpo d'occhio...
Ma no... vedevano leso il loro meritato piatto di tordelli o il ventino per la benzina...
Ma riandate a piavvelo in der .... !
Benvenuti nel paese dei farlochi!
Io mi son sempre spostato senza pretendere un cazzo, ne un piatto di tordelli ne un euro di benzina, se voglio fare na cosa la faccio! Meglio un panino con gli amici che un ora al tavolino a sparar cazzate sul chi ce l'ha più grosso!
Mi ricordo che a un presidente di club con il quale non corre più buon sangue, gli rifiutai il suo cupon benzina, dicendo che non ne avevo bisogno, se decido di andare e me lo posso permettere partecipo a prescindre a qualsiasi manifestazione...
E il problema è generale, quindi meglio stare a casa e far cose più creative.



Traduzimos com Google Translator:

Nesta manhã, percebi não haver arrependimento por ter abandonado a ‘panela’ da reencenação histórica...
Num evento planejado para hoje, um amigo foi impedido de participar, embora devidamente uniformizado, porque o número de convidados era limitado...
Mas eu digo, a despeito de muitos participantes "disfarçados" terem mais de cinquenta anos, alguns estão ridículos em seus uniformes, manchados e como soldados de infantaria em idade de aposentadoria!
Mas no entanto, nesta ocasião em que seria melhor contar com muitos, e com meu amigo adequada e historicamente vestido, perdeu-se a chance...
E não... Eles viram perdido o merecido prato de pasta ou as moedinhas para a gasolina...
Mas vá “piavvelo in der....”!
Bem-vindo à terra da falsidade!
Sempre me movimento em prol da causa sem reivindicar nada, seja o prato de pasta ou um euro sequer de gasolina, se eu quero fazer algo, simplesmente faço! Melhor um sanduíche com amigos do que uma hora na mesinha disparando ‘abobrinhas’ sobre quem é maioral, o melhor!
Lembro-me de um presidente de clube que já não tem o sangue bom, quando recusei o vale-gasolina simplesmente por não precisar, porque queria participar por mim mesmo, abrindo mão de qualquer incentivo...
E o problema é geral, então é melhor ficar em casa e fazer ali coisas mais interessantes.



Depois a resposta em português, para servir de base na tradução inversa:

Massi
Entendi a essência de sua manifestação. E entendi com mais clareza por já ter atingido aquele ‘meio século’ mencionado pelo amigo.
A realidade europeia da reencenação histórica é muito diferente da brasileira, mas concordo com vários pontos de seu raciocínio. Aqui, como em outros países, somos obrigados a suportar aqueles que querem ser “mais”. É algo diretamente relacionado a mentalidade e a cultura.
Reconheço. Sou um velhinho trajando uniforme de peão. Deveria andar como oficial, algo já parcialmente resolvido. Mas no ambiente habitual em nosso país, ninguém percebe a diferença e o que queremos no final é apresentar o essencial sobre a FEB.
Já enfrentei aqui a proibição velada de prestigiar eventos (inclusive governamentais) simplesmente porque há outros grupos que se sentem ‘donos’ das atividades.
E aí, começou a valer a experiência como radioamador – sempre que estamos desgostosos com o que ouvimos, desligamos o rádio ou mudamos a frequência. Funciona muito bem!
Na reencenação e na divulgação da História do Brasil na Segunda Guerra, Ana e eu fazemos a nossa parte sem nos preocuparmos com os outros. Não queremos gasolina ou o prato de comida, embora de vez em quando seja legal receber por mérito, não pelo puxa-saquismo.
Nós sentimos sua falta nas atividades que prestigiamos desde 2011. Estivemos contigo e com seu Jeep (incentivo para adquirirmos o nosso) em Pistoia em 2010 e temos certeza de que, sozinho, em grupos pequenos ou agregado a grandes comunidades, poderá fazer muito.
Adoramos fazer coisas criativas em casa. Mas enquanto estamos ainda na faixa dos 50, acreditamos que estar do lado de fora vai contribuir para que mais pessoas conheçam um pouquinho do que foi a Segunda Guerra e o Brasil naquele período.
Como soldado de infantaria, ou como capitão.
Abraços e parabéns por sua postura.



Finalmente, a resposta em italiano, que será copiada para o amigo em seu perfil de facebook.

Massi
Ho capito l'essenza della vostra manifestazione. E ho capito più chiaramente per hanno giá raggiunto quel 'mezzo secolo' menzionato dall’amico.
La realtà europea della rievocazione storica è molto diversa dal Brasile, ma sono d'accordo con alcuni punti del suo ragionamento. Qui, come in altri paesi, dobbiamo sostenere coloro che vogliono essere "di più". È qualcosa direttamente connessa con la mentalità e la cultura.
Riconosco! Sono un vecchio uomo in divisa di fante. Devo camminare come ufficiale, qualcosa di già parzialmente risolto. Ma nel contesto attuale nel nostro paese, nessuno si accorge della differenza e quello che vogliamo, alla fine, è di presentare gli elementi essenziali della storia della Forza di Spedizione Brasiliana.
Ho sentito qui divieto velato di prestiggare eventi (tra cui alcuni di governo) semplicemente perché ci sono altri gruppi che pensano come "proprietari" delle attività.
E cominciò a valere l'esperienza come radioamatori (dal 1981 a oggi) - ogni volta che siamo disgustati con ciò che sentiamo, spegnere la radio o modificare la frequenza. Funziona benissimo!
Nella rievocazione e la diffusione della storia del Brasile nella Seconda Guerra mondiale, Ana e io facciamo la nostra parte, senza preoccuparsi di altri. Noi non vogliamo benzina o piatto di cibo, anche se alcuni volte è bello avere in base al merito, non per adulazione...
Ci manca di vederlo, fratello Massi, a le attività che prestigiamo dal 2011. Siamo stati con voi e la vostra Jeep (incentivo ad acquisire la nostra) a Pistoia nel 2010 e eramo certi che, da soli, in piccoli gruppi o aggiunto a grandi comunità, tu può fare molto.
Ci piace a noi fare le cose creative a casa. Ma mentre siamo ancora nel range di 50, crediamo che essere fuori aiuterà più persone ad conoscere un po 'di ciò che è stata la Seconda Guerra e il Brasile in quel periodo.
Come un soldato di fanteria, o come capitano ah ah ah
Abbracci e congratulazioni per la postura.

domingo, 28 de fevereiro de 2016

Rui, eternamente Rui...



(28.2.2016) - Escrevi o texto abaixo de ‘bate-pronto’ provocado por uma publicação em um grupo do Facebook. Neste fim de domingo, Rui povoou minha cabeça – resolvi resgatar o que escrevi e compartilhar. Quem conheceu o herói dos céus da Itália (e é brasileiro!) , bem como a relação que Ana e eu tivemos com ele e Julinha, vai entender...
A redação inicial foi corrida, cursiva, concluída em cinco minutos, porque veio do fundo d’alma. Aqui, dou umas pinceladinhas...
-
Saudade sem fim, Vitor e Ana... Jamais esqueceremos do carinho naquele apartamento da Santa Clara, nas tantas vezes em que lá estivemos...
E o susto daquele almoço, anos atrás? Rui falou - venham para casa almoçar conosco. Pensamos - ok, eles estão em casa, estão protegidos, estão com o enfermeiro, etc...
Mas, qual o quê!!
Estávamos todos na sala, Rui e Julinha perguntam – “então meninos, estão prontos?”
Respondemos – “sim, vamos a mesa...” (vã expectativa)
Rui se levanta, conversa com o enfermeiro, que pergunta - "Brigadeiro, tem certeza que não precisa de mim?"
Rui apenas diz - "estamos em boa companhia".
Ele nos chama. Ana e eu nos levantamos, vamos até ele e ele diz – “Peguem suas coisas... Venha Julinha...”
Ana e eu olhamos para o enfermeiro que diz - "o Brigadeiro me proibiu - agora vocês cuidem muito bem de meu chefe".
P U T Z G R I L L A ! ! ! Deu pau na casa do Kaneshira...
Julinha pegou no meu braço, Ana se agarrou a Rui. Elevador, rua, táxi, e o taxista reconheceu Rui!! Sim!! Herói da Segunda Guerra, no documentário, disse o taxista...
Restaurante do Rui, uma quadra do calçadão de Copacabana. Na porta, minha última foto com ele, sem saber do futuro...
Sentamos, comemos, contamos lorotas, demos risada, como quatro jovens discutindo no 'briefing'!!
Fim de festa, sobremesa, conta, saída, rua.
"Vamos embora, Tenente-Brigadeiro?" - fazia tempo que Ana e eu só usávamos a patente correta - TENENTE-BRIGADEIRO (já havia reconhecimento pelo C. STF).
Antes de chamar o táxi ele me segurou pelo braço - "Vitor, chame Ana. Vamos andar pelo calçadão..."
É mole? E lá vamos nós, eu com a mão de Rui em meu ombro e Ana abraçada em Julinha.
Duas quadras, dez minutos, conversa.
"Hei, táxi táxi!!!" Rui autorizara, era hora de voltar para os altos de Santa Clara.
Todo cuidado do mundo para embarcarmos o doce casal, que já estavam unidos à época da guerra - mais de setenta anos se passaram.
E lá fomos nós, com os dois, de volta para o apartamento deles.
Dá para imaginar a cara de aflição do enfermeiro? Estávamos carregando a "memória viva" da FAB, santo Deus! "Vocês demoraram!!"
Ah ah ah ah ah - sinal de que fizemos tudo certinho, ora ora...
E mais uma vez, a hora de dizer adeus, e de agradecer pelo carinho.
Nós não esquecemos. Nós jamais esqueceremos...

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Colonna Della Libertá 2016

(POR-ENG-ITA)

Confirmado!
Colonna de 23 a 25 de Abril, na região Norte da Itália. A organização não divulgou ainda o roteiro. Fontes oficiosas mencionam a Lombardia ou o Veneto.
25 de Abril, Feriado da Libertação da Itália, celebração em Montese pela manhã, FEB, a Cobra Fumou.

Confirmed!
Colonna della Libertá 23-25 April in the North of Italy. The organization has not yet released the program. Unofficial sources talks about Lombardy or Veneto.
April 25, Italy Liberation Holiday, celebration at Montese in the morning, about FEB/BEF "Smoking Snakes".

Confermato!
Colonna della Libertá 23-25 Aprile nel Nord d'Italia. L'organizzazione non ha ancora rilasciato il programa. Fonti non ufficiali menzionano Lombardia o il Veneto.
25 aprile, Festa della Liberazione, celebrazione a Montese al mattino, FEB/BEF - A Cobra continua a fumare.

FBVA 2016

Mensagem da FBVA – Federação Brasileira de Veículos Antigos.
Conforme decidido por unanimidade, em Assembleia Geral Ordinária, realizada em 19 de Abril de 2015, durante realização do XX Encontro Paulista de Autos Antigos, em Campos do Jordão/SP, quanto ao assunto “ajustes dos valores de serviços oferecidos por esta Federação”, informamos abaixo, os novos valores a serem praticados pela FBVA a partir de 01 de Fevereiro de 2016.
Lembrando que, de acordo com decisão da AGO, o índice utilizado é o IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado), que apresentou o acumulado de 10,54% no ano de 2015.
- Taxa de Filiação de novos clubes: R$249,00
- Trimestralidades FBVA: R$249,00
- Emissão de Certificados de Originalidade: R$111,00
- Emissão de laudos para fins de importação de autos antigos: R$450,00
- Emissão de Passaport FIVA: R$400,00
Aproveitamos para informar que, por recomendação desta Diretoria Financeira, buscando melhor equilíbrio nas receitas e despesas da FBVA, o vencimento de recebimento de emissões de Certificados de Originalidade será alterado. A partir do mês de Fevereiro, todos os Certificados de Originalidade emitidos dentro do mês, terão sua cobrança emitida para vencimento até o dia 15 do mês seguinte, com boleto enviado por e-mail. Desta forma, conseguiremos melhorar nosso fluxo de caixa com melhor controle de nossas receitas.
Alertamos que os vencimentos referentes a trimestralidades, continuarão sendo da mesma forma que ocorriam, conforme datas abaixo informadas, e por meio de boletos de cobrança enviados por e-mail:
1º trimestre: vencimento em 28 de Fevereiro;
2º trimestre: vencimento em 28 de Maio;
3º trimestre: vencimento em 28 de Agosto;
4º trimestre: vencimento em 28 de Novembro.
Por fim, lembramos da necessidade de que o clube esteja adimplente com todas as suas obrigações financeiras junto a FBVA, para solicitação de qualquer serviço por nós prestado.
Sem mais para o momento, agradecemos pela acolhida e nos colocamos a disposição para quaisquer dúvidas que se façam necessárias.
Diretoria Financeira
FBVA – Federação Brasileira de Veículos Antigos

Av. Deusdedith Salgado, 3.600 Loja C – Teixeiras - Juiz de Fora/MG CEP: 36033-000 - Tel.: (32) 3236-1322 / (32) 9 9958-0850

sábado, 7 de novembro de 2015

Colonna della Libertá 2011

A primeira Colonna a gente nunca esquece...



Abril de 2011, Aprile, April.



"Time Brasil" - "Team Brasile"





90 Anos de Toninho Inhan

Homenagem pelo aniversário de Toninho, veterano da FEB residente em Juiz de Fora, MG - produção do dia 07 de Setembro de 2015, com várias passagens do desfile e da reunião, em casa, de todo o pessoal envolvido.